Ilda Pereira conquista Ásia

Ilda Pereira conquista Ásia

TLIMBC (Timor Leste International Mountain Bike Challenge) é uma jornada dupla de BTT. No mesmo fim de semana Timor acolhe a Asia Mountain Bike Series para as provas de XCO e DHI que este ano foram Categoria 1 UCI. Ilda Pereira, que compete Cross Country Olímpico, por um ano mais representou Portugal e alcançou medalha de bronze e de prata, respectivamente.

A atleta Vimaranense, com um curto intervalo de 3 dias, disputou também o mítico Tour de Timor, prova por etapas e manteve uma prestação de alto nível, conquistando desde a primeira etapa o segundo lugar do pódio (atrás da campeã do mundo de estrada, a Australiana Peta Mullens), lutando ainda pelo prémio de montanha, liderança de faixa etária e medalha de prata por equipas mistas para a equipa de Portugal com Celina Carpinteiro, David Vaz e Valério Ferreira). “O TDT este ano apresentou-se reinventado e de cara lavada: com um cardápio de etapas muito completo e exigente, uma organização empenhada e comidinha boa… (risos)”.

MTB Hero Himalaya é uma prova de BTT por etapas de referência internacional. O projecto iniciou em 2005 e de lá para cá testemunhou a participação de campeões como Luis Leão Pinto, Andi Seewald, Corry Wallace, Catherine Williamson e a nossa Ilda Pereira, entre outros pilotos de ranking UCI - mais e mais pilotos profissionais e classificados pela UCI e equipas como Rocky Mountain, Kona Bikes, Cannondale, Força Aérea têm mostrado interesse neste evento. Ilda Pereira marcou presença pelo 3º ano consecutivo e colocou o BTT Torcatense no 2º lugar do pódio, depois de perder a liderança das etapas para a Campeã Europeia Catherine Williamson, relegando para o 3º posto a corredora da Rocky Mountain Karen Hill. Ilda diz que é sempre muito mais do que os 8 dias de competição. “As etapas levam-nos pelo Estado de Himachal Pradesh, Índia, a partir da "rainha dos montes" Shimla para o "Vale dos Deuses" Kullu seguido pela "Pirâmide do Himalaia" Kangra e finalmente concluindo a "terra de sua santidade" Dharamshala”. No total, são cerca de 580km com um ganho de elevação de quase 16km, sendo o ponto de maior elevação Jalori Pass (3120 m).

Sendo já uma atleta reconhecida na Ásia, a vimaranense recebeu convite do Diretor de Corrida, Comandante Rajesh Thakur, para integrar o pelotão da 1ª edição do MTB Arunachal, no homólogo estado - o mais selvagem e menos explorado da Índia, lar de 26 tribos indígenas. Para Ilda, que está habituada a altos desafios nas competições em que participa, integrar a “primeira corrida MTB internacional no Nordeste Índia”, do belo Vale Mechuka até Itanagar, cobrindo 730kms em 6 etapas, foi um convite do amigo que não podia recusar. Conquistou a liderança da corrida logo na 1ª etapa e não mais abdicou de subir ao lugar mais alto do pódio, apesar de alguns problemas mecânicos que a própria soube resolver, terminando a última etapa com câmara de ar e raio “colado com tape”.

Em Tawang um outro evento de BTT estava prestes a começar, marcando o início do Festival. De lá, Sir Ramesh Linggi e Sir Romeo Meetei viajaram para oficializar o convite à corredora internacional Ilda Pereira não só para integrar o privilegiado grupo de pilotos desta 1ª edição mas também para formar o quadro técnico da corrida. O evento pretende promover o turismo numa zona tão bela quanto marcada pelos passados conflitos com a China, com passagem por Zela Pass a 13700 pés, e, simultaneamente, servir de plataforma para os jovens atletas, contando com o Departamento do Desporto e da Juventude. “Cheguei de madrugada a Guwahati e não tratei da minha bicicleta, como é a minha rotina de corredora. A minha Qüer ficou na mala. Fui cedo para um briefing técnico onde conheci a equipa e responsáveis, delineamos o formato da corrida, aspectos técnicos, horários, tempos, … e, a partir daí, não paramos: comprar a comida para a corrida, a louça, talheres… Estava totalmente dentro do Tawang MTB Challenge!” Ilda foi ainda “treinadora” no próprio terreno mas não cedeu do primeiro lugar de honra na Cerimónia de Encerramento.